Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arte Notes.

Anotações artísticas

Arte Notes.

Anotações artísticas

12 de Fevereiro, 2024

Novo álbum "Na Luz do Poente" de BeDuet

 

BeDuet Capa álbum «Na Luz do Poente»

Capa do álbum "Na Luz do Poente" : Edição 3 de Maio 2024


O álbum «Na Luz do Poente», é fruto de um trabalho continuado de composição, por parte dos dois membros do BeDuet. Enquanto o primeiro álbum “Marés Suaves”, editado em 2020, continha composições criadas separadamente ou por Nuno Faria, ou por Sérgio Neves, o presente álbum consubstancia em cerca de metade dos temas, um trabalho de composição feito em coautoria. Outra virtude deste álbum, é trazer a público alguns temas compostos há muitos anos por cada músico, antes da existência do BeDuet. A cumplicidade que Nuno e Sérgio foram criando permitiu finalmente abrir espaço para a construção de arranjos e partilha de ideias sobre como construir composições que há muitos anos «estavam na gaveta».

Erguer uma matéria sonora, a partir apenas de dois instrumentos é um desafio, que os dois músicos têm tentado ultrapassar de várias formas: na instrumentação, ora usando contrabaixo e guitarra, ora guitarra e percussão, ou ainda, como acontece pela primeira vez neste álbum, através de duas guitarras; noutro plano, os arranjos criados por Nuno Faria e Sérgio Neves, ampliam a sonoridade e prendem a atenção dos audiófilos através de linhas instrumentais que dialogam e se cruzam, ora criando crescendos e patamares de clímax, ora trazendo as músicas para uma ambiência mais suave e planante. Por fim as características das composições criam uma ponte com o Jazz em alguns temas, mas noutros, as composições partem para outras linguagens, difíceis de «encaixar» em estilos convencionais.

Poderíamos sintetizar o espírito do álbum «Na Luz do Poente», com uma frase proferida por uma espectadora no final de um recente concerto:

«Caminhando iluminados pela luz da criatividade no poente das nossas vidas»

A música de Sérgio Neves e Nuno Faria simplesmente acontece, da mesma forma natural com que o dia e a noite se sucedem. Desde “Marés Suaves” (2020) que a sua cumplicidade se vem adensando, desvendando o olhar de dois amigos que atravessam a cidade em direção ao pôr do sol.

Movimentando-se entre o jazz e outras linguagens menos convencionais, o BeDuet produz sonoridades que contam histórias com palavras não nomeadas e canta a poesia de cores e brilhos que se refletem nas águas, agitando-se suavemente contra as margens de um cais.

«Os sons da guitarra elétrica, da guitarra acústica, do contrabaixo e a percussão das madeiras reaparecem em “Na Luz do Poente”, desta vez como uma forma primitiva de magia que convoca o Fogo, a Água, o Ar e a Terra para tecer feitiços de proteção contra a instabilidade do presente. A música do BeDuet tem a capacidade de nos harmonizar com o presente, afinando timbres e resgatando esperanças.»

Maria Miguel Lucas